Hospital São José inaugura Centro Especializado em cirurgia de cardiopatia congênita pediátrica

Anualmente no Brasil nascem aproximadamente 25 mil crianças com cardiopatia congênita.  Essa doença é uma má formação que ocorre devido a uma alteração na estrutura do coração durante o desenvolvimento embrionário. Ela pode ser detectada antes mesmo do nascimento, mas muitas vezes é descoberta logo após ou anos mais tarde. Quanto antes o caso for tratado, maiores são as chances de o paciente levar uma vida normal.

 A maioria desses casos precisam de cirurgia, mas até este ano o local mais próximo de São José dos Campos com centro cirúrgico especializado em casos pediátricos era em Campinas. A partir de março, as crianças diagnosticadas com cardiopatia congênita não precisam mais se deslocar para os grandes centros como Campinas e São Paulo, já que o Grupo São José Saúde estruturou um centro de especialidades para correção dos casos pediátricos no Hospital São José.

“O Hospital São José é o que tem estrutura e melhor atendeu minhas solicitações sobre compra de material e equipe. Além disso, ele já conta com uma UTI pediátrica e aceitaram minhas sugestões sobre a criação de equipe de cardiologia pediátrica, principalmente no pós-operatório, que faz toda a diferença”, afirma Ayrton Bertini, o cirurgião à frente desse projeto e que encontrou no Grupo São José Saúde toda a estrutura de que precisa para a realização das cirurgias.

Segundo o médico, dos 25 mil casos de crianças com cardiopatia congênita diagnosticadas no Brasil anualmente, cerca de 10 mil são registrados na região sudeste. “Acredito que esse número seja maior, pois muitos casos não são registrados por falta de diagnóstico. Em muitos casos, o ideal é operar até um ano de vida”, explica o cirurgião.

A cardiopatia congênita já pode ser identificada durante o pré-natal através de um ecocardiograma fetal e até mesmo já operada antes de a criança nascer. “Os casos mais graves precisam ser operados na fase neo natal. O problema é que não existem tantos profissionais habilitados nesse diagnóstico”, afirma Bertini.

O médico ressalta a importância de se ter um centro especializado na região para acelerar o processo e fazer a cirurgia dentro do período correto. “Antes os pacientes precisavam viajar até São Paulo ou Campinas para realizar a cirurgia, isso acabava gerando um certo transtorno para a família devido ao deslocamento, gastos com alimentação e hospedagem e toda aquela preparação para uma viagem. E o mais importante: existe um ‘prazo’ para resolver essas cardiopatias, se passar do tempo o coração pode dilatar, a correção não bastará. Devido à lotação desses grandes centros, em vez de a criança operar com três meses, ela é operada com um ano de idade. Um centro médico especializado na região oferece mais rapidez nesse processo e a cirurgia acontece dentro do prazo”, explica o cirurgião.

banner_institucional_2-min

Sobre o autor(a):

Deixe um Comentário

START TYPING AND PRESS ENTER TO SEARCH